Quatro lições baseadas na história do Filho Pródigo

Quatro lições baseadas na história do Filho Pródigo

A parábola do filho pródigo é uma das mais conhecidas da bíblia sagrada, um filho que pega a parte da sua herança e abandona a fazenda do seu pai para viver uma vida pecaminosa. Contudo, aquele filho perde toda a sua herança e acaba passando necessidade, ate que ele resolve voltar a fazenda do pai e é recebido de volta. Neste artigo venho apresentar quatro lições que o cristão deve tirar com a história do filho pródigo.

 

Deus respeita a escolha do homem
A parábola do filho pródigo é uma história fictícia com uma poderosa mensagem em sua essência, dessa maneira é importante tentar compreender quem são os personagens descritos na história, desse modo, o pai mencionado na parábola pode ser compreendido como Deus e os dois irmãos como cristãos divididos em duas classes, os fieis e infiéis. Todavia, a parábola é direcionada aos cristãos, uma vez que a história aponta a atitude de dois filhos com relação ao pai, assim sendo, o homem só pode se tornar filho de Deus se reconhecer Jesus como seu salvador (JOÃO 1:12).

Identificado os personagens e o publico alvo da parábola, a história continua quando o filho infiel resolve pegar a parte da sua herança e abandonar a fazenda de seu pai. Deus permite que seus filhos façam escolhas, aquele filho resolveu abandonar a fazenda do pai, não obstante os costumes que ele tinha naquela local, uma vez que a bíblia relata que o jovem rapaz começou a viver uma vida completamente dissoluta. “Poucos dias depois, o filho mais novo, ajuntando tudo, partiu para uma terra longínqua e ali desperdiçou seus bens, vivendo dissolutamente” (LUCAS 15:13). Assim sendo, existem filhos que resolvem abandonar a igreja e seus costumes, que trocam o tempo de oração por baladas, drogas, orgias entre outras transgressões e Deus em momento nenhum impede ou cria alguma situação para barrar aquela transgressão. O Messias é um gentleman, Ele bate e se nós por livre e espontânea vontade abrirmos Ele se achegara e transformará as áreas da nossa vida, mas se pedirmos conta e nos afastarmos, Ele não fará nada para impedir.” Eis que bato à porta e bato; se alguém ouvir minha voz e abrir a porta, entrarei em sua casa, com ele cearei, e ele, comigo.”(APOCALIPSE 3:20).        

 

Os Pecados contra o céu
É notório que o filho pródigo cometeu muitos pecados e por isso foi parar em uma situação deplorável, uma vez que, ele começou a cuidar de chiqueiros e a passar fome ao ponto de desejar comer a comida dos porcos e ser proibido. Contudo, ele resolve voltar a fazenda do pai, no entanto,com um caráter quebrantado, arrependido dos seus erros, confessando os seus erros ao pai: “O filho disse: Pai, pequei contra o céu e perante ti e já não sou digno de ser chamado teu filho.”(LUCAS 15:21).

A título de curiosidade todas as traduções mais conceituadas como Almeida seja na versão atualizada, revista ou clássica, King James, a tradução Judaica do teólogo David H. Stern, possuem a mesma tradução, diferenciando o pecado cometido pelo filho pródigo, “pequei contra o céu e perante ti”. Assim sendo, o filho pródigo pediu perdão ao pai que representa Deus e aos céus, ou seja, segundo o dicionário Strong a palavra céus [ouranos] no grego pode ser traduzida como lugar onde vive Deus e os anjos. As nossas atitudes podem gerar nas regiões celestiais repercussões sejam elas negativas ou positivas, a titulo de exemplo Jesus disse que quando um pecador se arrepende a festa no céu (Lucas 15: 7). O sacerdote Zacarias no cumprimento do seu ofício ousou ofender a santidade do anjo Gabriel, não acreditando na sua mensagem, assim Gabriel o puniu deixando ele mudo até o nascimento do seu filho. “Disse então Zacarias ao anjo: como saberei isto? Já sou velho, e minha mulher, avançada de idade. […] Eis que ficaras mudo e não poderás falar até o dia em que estas coisas acontecerem, […]” (LUCAS 1: 18-20). A bíblia também deixa muito claro que podemos ofender os anjos que Deus envia a nosso favor, inclusive se observarmos o contexto do capítulo dois da Epistola escrita por Pedro vamos atestar que ele descrevia pessoas que apostatavam da fé ao ponto de ofender os seres celestiais “Especialmente aqueles que seguem sua antiga natureza em relação a lascívia e a obscenidade desprezam a autoridade. Insolentes e arrogantes, esses falsos mestres não têm medo de difamar os seres angelicais.[grifo meu]” (2 PEDRO 2:10).

Portanto, o filho pródigo quando abandonou a Deus ele ofendeu os seres que vivem no céu, isto todavia, foi contado contra ele diante do trono de Deus. Toda vez que um crente abandona os princípios da fé para seguir as suas concupiscências ele ofende os anjos e isso é pesado contra ele diante do trono do Altíssimo. Portanto, no momento da confissão de pecados o transgressor deve pedir perdão a Deus por ter ofendido as regiões celestiais.

 

Como o pai recebe o pecador
O caráter abençoador de Deus é bem distinto daquele observado no homem, uma vez que, Adonai esta sempre de braços abertos a receber o pecador, entretanto todavia, o homem sempre está pronto para julgar e condenar o transgressor. “Ide, porém, e aprendei o que significa: Misericórdia quero, e não sacrifício. Porque não vim chamar os justos, mas os pecadores, ao arrependimento.”( MATEUS 9:13). O pai recebeu o filho pródigo, ouviu sua confissão de pecados e colocou alguns apetrechos nele, observe: “Mas o pai disse aos seus servos: trazei depressa a melhor roupa e vesti-o, ponde-lhe um anel no dedo e alpacas nos pés;” (LUCAS 15:22). Aqueles apetrechos foram colocados no Jovem rapaz para que os sinais de escravidão fossem retirados dele, assim é com todo homem que vive em pecado e retorna para os braços do pai ele é considerado como escravo e precisa ser liberto: “Yeshua lhes respondeu: sim todo aquele que pratica o pecado é escravo do pecado.” (JOÃO 8:34 ). A titulo de ilustração, quando José foi retirado da escravidão foi lhe colocado um anel que simboliza autoridade e prestígio “E tirou Faraó o anel da sua mão, e o pôs na mão de José,[…]”(GÊNESIS 41:42). As vestiduras novas postas no  filho pródigo era o sinal da obra de Cristo na sua vida, a salvação estava posta sobre ele: “Eu me regozijarei muito no Senhor, e minha alma se alegra no meu Deus, porque me cingiu de vestes de salvação, me cobriu com o manto da justiça,[…]” [grifo meu] (ISAÍAS 61:10). O calçar as sandálias era a maior evidência que o filho pródigo não era mais escravo, pois um dos sinais da escravidão em Israel era andar descalço: “[…] Vai solta o cilício de teus lombos e descalça os sapatos dos teus pés. e assim o fez indo nu e descalço. […] assim o rei da Assíria levará em cativeiro os presos do Egito e os exilados da Etiópia, […]” [grifo meu] (ISAÍAS 20:2-4). Mas todavia, o pai ter calçado o filho com sandálias também tinha o sentido de prepara-lo para pregar o Evangelho e anunciar o Messias: “E chamou a si os doze, e começou a enviá-los a dois e dois, […] Mas que fossem calçados de sandálias, e vestissem duas túnicas”[grifo meu]. (MARCOS 6: 7-9)


O grande erro do filho fiel
O filho fiel quando observou que o Pai havia preparado uma festa para o filho perdido que havia voltado, ficou extremamente incomodado. Contudo, o pai disse: “Filho tu sempre estás comigo, e todas as minhas coisas são tuas.”(Lucas 15:31). Deus estava dando uma grande lição ao filho fiel, pois ele não precisava sentir inveja do irmão, uma vez que tudo que era do Pai era dele, mas, contudo, porque ele ainda não havia comido um cordeiro e nem recebido uma festa? Única e exclusivamente porque ele não havia pedido. Há nos dias atuais uma grande quantidade de cristãos que vivem a vida no automático e não provocam a Deus com orações, clamores e suplicas. ”De nada estejais solícitos; antes, sejam vossas petições conhecidas diante de Deus pela oração, e suplicas com ações de graças” (FELIPENSES 4:6). Deus não irá fazer nada de maneira automática, Deus quer ouvir as nossas orações, como pai  Ele deseja ouvir dos lábios do homem as suas necessidades, para que então ele possa agir em favor do fiel que permanece na sua vontade. “Se estiveres em mim, e minhas palavras estiverem em vós, pedireis tudo o que quiserdes, e vos será feito.” (JOÃO 15:7) [grifo meu].

 

Bibliografia

FINIS J. Dake, Thiago Ferreira couto de freitas .notas traduzidas da dake´s annotaded reference bible finis jennings Dake. Célia Regina, chazanas clavello.Bíblia Dake.Rio De Janeiro. Atos ,2013

HENRY,MATTHEW. Elen canto.Elias silva. Bíblia de estudo Matthew Henry.Taquara Rio de Janeiro. Central Gospel, 2014.

DAVID H, STERN. Rogério Portella.Celso Eronides Fernandes.Bíblia Judaica completa .São Paulo. Vida, 2010

STRONG, James. Léxico Hebraico, Aramaico e Grego de Strong. Sociedade Bíblica do Brasil, 2002.

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

pt_BRPortuguês do Brasil
en_USEnglish pt_BRPortuguês do Brasil